Feeds:
Posts
Comentários

Mais uma vez a experiência pessoal e o depoimento de amigos estimulou a escrever um post!

O que ocorre é que tempos atrás conheci uma ninfeta. Linda! Dezoito anos de idade. Estudante universitária de Direito da PUC e estagiária no Tribunal de Justiça do Estado. Olhos verdes, seios grandes, quadril largo, cintura fina, cabelos castanhos cacheados, pele parecendo um pêssego.

Pra falar a verdade, tudo começou numa conversa despretenciosa numa roda de amigos. Eu nem imaginava que ela ia cair nos meus braços mais tarde. Conversamos sobre diversas coisas. Apesar da pouca afinidade que tivemos, confesso que depois de um certo tempo, comecei a ficar muito intessado em seus atributos, e na hora de ir embora, pensei, porque não oferecer uma carona? Hehehe!

Ela aceitou, pegou suas coisas, passamos no caixa e fomos para o estacionamento. Chegando no carro, liguei o som, puxei mais papo, antes de ligar a ignição. O papo se estendeu por mais alguns minutos dentro do carro imóvel, pensei até que ela se sentiria desconfortável e pediria que a levasse pra casa, porque já estava ficando tarde e todo mundo já tinha ido embora. Detalhe que no meio da conversa o pai dela ligou para o celular dela, perguntando porque ela estava demorando para ir pra casa. Hehehe! Bem coisa de adolescente.

Conversa vai, conversa vem. Depois do pai dela desligar, nos engatamos num beijo gostoso dentro do meu carro. Beijos, abraços, mãos passeando pelos corpos, descobrindo as formas e a textura. Dali fomos para um motel e tivemos algumas horas de muito prazer. Depois deixei ela em casa.

Nos vimos mais algumas vezes. Sexualmente nos entendemos muito bem e a afinidade pessoal que não houve no começo, foi descoberta com assuntos e interesses em comum com o passar do tempo. Mas o desinteresse, acredito que acabou sendo mútuo e acabamos não nos vendo mais. Talvez receio de ambas partes.

Nossa diferença de idade: 14 anos.

Então, na realidade, essa diferença era quase a idade dela. Desde o início foi uma coisa que me fez pensar, será que vale a pena levar adiante uma relação com uma pessoa com tal diferença de idade? Será que é uma relação que terá futuro?

Conversei com alguns amigos e vi que os mais preconceituosos acreditam que o homem que entra numa relação com uma mulher muito mais nova, fatalmente acabará sendo corno. Talvez sim, talvez não. Eu sou uma pessoa que acredito muito no amor livre, sem preconceitos e sem barreiras. Sendo que a idade não é impedimento para duas pessoas se amarem. Seja o homem o mais velho, ou seja a mulher a pessoa mais velha no casal. A incompatibilidade sexual pode muito bem acontecer com duas pessoas da mesma idade. 

Por outro lado, têm os que pensam que a mulher mais nova está a procura de segurança, estabilidade financeira ou status social, ao lado de um homem mais maduro. Até pode ser, mas outra vez reforço, havendo amor, se o que completa ela é a segurança e o bem-estar que ele pode oferecer, que mal tem?

Alguns ainda colocam que a figura paternal que se vislumbra num homem mais velho, às vezes pode ser atraente, sendo motivo para fazer a relação permanecer duradoura. Quem sabe? Um homem pode ser marido e pai ao mesmo tempo?

Tem uma ala que acha que as mais novas são interesseiras. Não vamos ser ingênuos e pensar que isso não existe. Mas, vamos deixar as mazelas humanas sendo ignoradas e lembradas apenas nesta pequena e última referência.

Por fim, tem a situação contrária, quando o homem é mais novo e a mulher mais velha… Mas isso fica para um próximo post.

Um abraço!

Anúncios

→Mulheres com kit.

Pois é, depois de muito tempo refletindo sobre a vida e tendo novas experiências, resolvi que era o momento de voltar. Muita coisa aconteceu durante este tempo que passou e muitos assuntos novos serão postados. Enfim, voltei. Estava me dando conta agora que em janeiro o blog estará completando 1 ano de existência. Hehehe!!!

Então, pra retormar o blog, escolhi como tema uma das minhas últimas experiências: “mulheres com kit”. Pra quem não conhece a expressão, mulheres com kit são as que tem filhos, seja por produção independente, seja por herdarem os mesmos de relações anteriores.

Até uns anos atrás, no século passado ainda, era um desafio encontrar mulheres virgens. Até porque, hoje elas estão extintas! Hehehe!!! Brincadeiras à parte, esta introdução infame nada mais é para ilustrar que, diferente de antigamente, que as mulheres virgens eram incomuns, atualmente, além de não serem mais virgens, elas estão tendo filhos muito cedo. 

E ainda, não são necessariamente casadas. Tenho conhecidas com filhos que optaram pela produção independente, ou seja, continuaram solteiras e criando os filhos. Tenho amigas que são separadas e ficaram com um filho ou dois da relação anterior. E tenho amigas que tiveram filhos de relações com homens diferentes. Pois bem, tem mulheres com kit no mercado pra todos os gostos.

Mas e agora, o que os homens pensam sobre as mulheres com kit?

Pra alguns homens, as mulheres com kit são o refugo. Lamento dizer isto, sei que é duro. Mas vamos começar pela pior parte. Pra alguns homens, de péssimo gosto e caráter, digasse de passagem, consideram as mulheres com kit o refugo. Ou seja, elas foram rejeitadas por um outro homem que as abandonaram e deixaram elas com o kit. A querida ficou pendurada no pincel, talvez, se tiver sorte, recebendo uma pensão miserável. Nesse caso, dificilmente a querida vai conseguir engrenar um relacionamento com um cidadão que pensa assim, porque ele vai tratá-la com refugo de outro homem, e vai querer no máximo se aproveitar, antes que a relação se torne “união estável” e ele tenha que pagar pensão também. Se contar, que ele vai querer sair fora antes que os filhos dela comecem a chamá-lo de “papai”. Hehehe!!!

Bom, essa é a pior parte. Por outro lado, existem homens que observam que nem sempre a mulher com kit pode ser classificada como refugo, pois ela pode muito bem ter saído da relação com a cabeça erguida e mandado o seu ex-companheiro pastar! Vendo com outros olhos, a mulher com kit pode ser considerada uma mulher de atitude, independente e que sabe muito bem o que quer da vida. Provavelmente está em busca da felicidade, e indifente de estar com um companheiro ou não, ela parte para a vida com o seu kit a tiracolo.

Independente de ser refugo ou mulher de atitude, a mulher com kit, com pude observar com meus próprios olhos, mão, boca, língua e todas as outras partes do meu corpo, tem algumas vantagens e outras desvantagens com relação as mulheres sem kit.

Vamos começar pela pior parte de novo. A área de lazer muitas vezes está meio alargada. É, lá mesmo. A menina, a perereca, buceta, vagina, perseguida. Seja o nome que você dá pra sua área de lazer, as mulheres com kit não são apertadinhas como as mulheres que nunca passaram por um período de gestação. Infelizmente, isso tira um pouco do prazer durante a penetração, dependendo do tamanho do rombo. Mas, alternativamente, você ainda tem a porta dos fundos pra deixar o seu parceiro brincar. Não desanime.

Outro probleminha, variando de mulher pra mulher, são as estrias e a flacidez da pele. Isto também pode tirar o tesão dos mais exigentes. Mas também não é o fim do mundo. Pra tudo tem tratamento, academia, e em ultimo caso, cirurgia plástica. Sei de casos de moças que até “costuraram” a menina por dentro pra ficar mais apertadinha… Hehehe!! Mas não faça isso em casa.

Quanto às vantagens. Bom, além da experiência de ser mãe, o corpo ganha uma certa forma mais arrendondada, digamos assim. Peitos maiores e bunda maior. Essa foi a maior gostosura que pude experimentar em uma mulher com kit. Só tem que cuidar com a gravidade. Tudo o que é maior, tende a cair mais rápido. Mas, repito, a fartura de uma mulher com kit é uma delícia. Hehehe!!!

E quanto aos pentelhos que acompanham a mulher com kit, ai depende de cada um. Se o cara tem vocação pra ser pai emprestado, é só abraçar que o filho é seu. Ou melhor, de outro.

Um abraço e beijos às meninas!

Uma leitora do blog me enviou um comentário sobre o último post. Estou publicando a mensagem, com a autorização dela, mas sem revelar seu nome.

“Oi Felipe!

Respondendo ao seu post:

Homem barrigudo: tô fora. Assim como eles querem que sejamos gostosas pra eles. Eles têm que estar em forma para nós! Se o cara não for doente, ele pode muito bem malhar e entrar em forma. Barriga não é desculpa.

Homem magro demais: se não for do tipo que de cima é um ponto, de lado um risco e de frente uma tábua, acho que passa. Do contrário, os feios que me perdoem, mas beleza é fundamental.

Homem careca: se o shape raspado ficar legal, dá pra encarar. Do contrário, vale o mesmo que o homem magro. Beleza é fundamental.

Homem baixinho: se for um baixinho gostoso, altura não importa.

Homem alto demais: vale o mesmo que pro baixinho.

Homem bombado: é gostoso de ver, mas prefiro tocar os sarados.

Quantos já dei antes dele: se ele quiser saber eu respondo. Mas por via das dúvidas, sempre divido o total por três.

Se já transei com um pinto maior que o dele: isso é fato, mas sempre digo que o atual é o maior. Você que ensinou a fazer assim, lembra?

Se ele me pergunta se já gozei: ah, se o cara pergunta isso, é sinal que é inexperiente. Ponto negativo pra ele.

Se já fingi um orgasmo: qual mulher nunca fez isso?

Se deixo gozar na minha boca: só com muita intimidade.

Se me importo que ele vá sozinho com os amigos no futebol: dou graças a Deus!

Se ele me pergunta se meu melhor amigo é apenas meu amigo: digo sempre que sim, mesmo que já tenha dado pro meu melhor amigo. Segredo que vai comigo para o túmulo.

Se no restaurante ele propõe dividir as despesas: eu aceito, mas é um ponto negativo pra ele. Acho extremamente elegante um homem pagar todas as despesas.

Se ele me trair e se arrepender: eu perdôo, mas meto um par de chifres nele. Afinal, no c. dos outros é refresco?

No dias das mães: cada um com a sua.

Beijos querido! Seu blog tá lindo! Publica minha cartinha lá, sem dar meu nome.”

Assim como você gosta de saber o que os homens pensam, ELES também gostariam de saber o que você pensa. Dessa maneira, assim como existem perguntas que você gostaria que os homens dessem respostas, existem perguntas que os homens gostariam que você respondesse.

Você já parou pra pensar quais são? Algumas delas são as seguintes:

Quanto a aparência física dele:

O que as mulheres pensam sobre homens barrigudos?

E quanto aos magros demais?

O que as mulheres pensam sobre homens carecas?

O que as mulheres pensam sobre homens baixinhos?

E quanto aos altos demais?

Homem “bombado” é mais gostoso?

Na hora do sexo:

Pra quantos você já deu antes dele?

Você já transou com alguém com um pinto maior que o dele?

Perguntinha básica e irritante durante a transa: “Querida, você já gozou?”.

Você já fingiu um orgasmo?

Você deixa eu gozar na sua boca?

No dia do jogo de futebol:

Você se importa se eu for sozinho com meus amigos?

Com relação ao seu melhor amigo:

Querida, vocês são apenas amigos mesmo?

No restaurante:

Se eu propor dividir as despesas, você vai ficar chateada?

Casamento:

Você prefere só namorar ou vamos morar juntos?

Traição:

Se ele ti trair e se arrepender, você perdoa?

No dia das mães:

Cada um vai visitar a sua?

Só falta agora alguma moça criar um blog com as respostas.

 

Parabéns a todas as mães!

Um grande beijo!

Para você que deve estar pensando: todo homem se preocupa com o tamanho do “menino” dele?

E eu respondo pra você: SIM. Você está certa! Todos se preocupam.

Na verdade, como toda regra tem exceções, tem caras que realmente não se preocupam, talvez porque já se conformaram em ter um “membro” pequeno ou talvez por que são muito bem dotados.

Na real, todo homem já teve uma fase na vida que pegou uma régua do seu material escolar e mediu o tamanho do “dito-cujo”. E mais… Mediu mole e depois duro. E pior… Ainda comparou com o dos colegas, pra ver quem tinha o “bilau” maior.

Depois que se vira adulto, essa coisa de se preocupar com o tamanho passa, porque o cara descobre que dá pra fazer mulher gozar de diversas maneiras e em diversas posições, independente de ter um armamento maior ou menor.

Bom… Vou dizer uma coisa pra você… Essa coisa de se preocupar com o tamanho passa, mas fica inconscientemente na cabeça de todo homem a vida inteira.

Todo homem gosta de saber se a mulher que está com ele pensa que “tamanho é documento”. Vai dizer que nunca nenhum cara fez essa pergunta pra você?

E uma dica… Se você quer deixar um cara bolado… Diga pra ele que você é da opinião que tamanho é documento! Você vai mexer com a segurança dele.

Isso é bom pras que não tão muito afim de dar prosseguimento num relacionamento, ou sei lá, estão com vontade de se vingar de um ex-namorado…

Agora, se você não quer correr o risco que o cara broche, diga que ele tem o maior pauzão do mundo, mesmo que seja só um “pingulinho!”

Outra coisa que o cara se preocupa é: “poxa, será que ela já transou com um cara que tem o bilau maior que o meu?”.

Com certeza, todo homem pensa isso. Todo homem quer saber isso.

Bom… Se o atual tem o câmbio menor que o anterior, não comente, isso certamente vai deixar o cara pensando: “humm… estou correndo o risco de não ser aprovado” ou pior “será que o meu dará conta do recado?”.

O cara por mais seguro que seja de si, por mais sabedor de sua potencialidade sexual, ele certamente vai ficar com a pulga atrás da orelha se você tocar no assunto “tamanho”. Não tem jeito.

Aposto que você já sabia disso tudo, mas nunca custa lembrar que os homens são na maioria todos iguais. Independente de classe social, idade ou região que nasceu!

É bem provável que se você está se aproximando ou já passou dos 30 anos de idade, já deve ter pensado se realmente os homens preferem as mulheres mais novas.

 

É quase que de notório conhecimento que alguns homens se “cansam” ou “enjoam” da mulher depois de algum tempo de relacionamento, e como se estivessem trocando um eletrodoméstico, acabam trocando uma “velha” e “usada” por uma “novinha”.

 

 

Bom, até aí, a primeira vista, parece ser um bom negócio, concordam??? Ou não???

 

 

Vamos ver…

 

Tenho alguns conhecidos que trocaram as esposas (que eram da mesma faixa etária deles), por mulheres mais novas, com cerca de 20 ou 30 anos de diferença.

 

 

A primeira vista, “parece” ter sido um bom negócio, porém, não creio que tenha sido a melhor escolha, pois chega uma época que nem só de sexo o homem vive. Chega um momento da vida, que o que mais se deseja, é uma companheira para compartilhar a espera da carruagem celestial.

 

 

Bom, pra quem não sabe, existem alguns estudos que justificam essa procura dos homens por mulheres mais novas. Uma delas, explica essa situação pelo fato de a mulher amadurecer mais rápido, ao contrário dos homens, que são mais lentos. Mas mesmo assim, será que isso justifica a troca?

 

 

Eu particularmente não acredito que uma “menina” na faixa dos 25 anos tenha maturidade para acompanhar o estilo de vida de um homem sexagenário. Assim como, ele não vai acompanhar ela. Além da mente, os corpos são diferentes, as necessidades físicas e psíquicas são diferentes. Enfim, existe um arsenal de motivos para um relacionamento deste tipo não perdurar.

 

 

Pelo menos se for analisar o aspecto emocional, é bem provável que não dure. A não ser que existam outros motivos, como por exemplo, a condição financeira. Mas aí já entramos numa outra seara para justificar esse relacionamento, que não vem ao caso e nem vale a pena analisar.

 

 

Se você já foi trocada, ou está prestes a ser trocada, não se espante, nem se apavore. O mais provável é que ele se arrependa no futuro, ou que ele nunca mais volte. De qualquer forma, você depois dessa situação, você terá uma certeza: ou ele era a pessoa certa pra você, pisou na bola e voltou ou… Você estava com a pessoa errada e finalmente vai ter a oportunidade de procurar a pessoa certa!

 

 

Talvez nem todos concordem comigo, mas expressar uma opinião é entrar na chuva. E quem está na chuva, é para se molhar!

 

 

Um grande abraço!

 

 

Boa Páscoa!

 

 

 

Tem coisa pior que pessoa ciumenta, grudenta, pegajosa e chiclete? Acho que pior que isso, só a pessoa que despreza a gente. Bom, pra você, o que é pior?
 
Já deu pra perceber que são dois pólos opostos, mas que chateiam qualquer relação. Ser ciumento é horrível, pode até acabar com uma relação. E desprezar… Bom, daí, cadê a relação?
 
Mas porque o homem é ciumento?
 
Quer saber?
 
Ele é ciumento, porque ele é homem, e como todo homem, ele sabe que todos os outros são iguais a ele: safados, tarados, sem-vergonha.
 
Ele é ciumento, porque sabe que aquele seu melhor amigo, tá pronto para o que der e vier se você der uma brecha.
 
Ele é ciumento, porque sabe que, se você tem algum conhecido casado, esse conhecido casado representa um perigo em potencial, já que ele pode ser um casado insatisfeito com a mulher ou um casado sem-vergonha, que trai apenas por trair. Ou pior, se ele for um cara muito inseguro, ele pode achar que você que vai dar em cima daquele seu amigo tímido.
 
O homem é o lobo do homem. Algumas pessoas já devem ter ouvido essa frase, certo? É bem por aí. O homem sabe que seus semelhantes pensam que nem ele. Por isso ele vive num perigo constante.
 
Vai dizer que o seu marido, namorado, noivo nunca pegou no pé do seu melhor amigo?
 
Bom… Aí você me diz que nenhum desses casos é o seu. Seu homem não cisma com ninguém e não demonstra o menor sinal de ciúme.
 
Sinal vermelho pra você! Dois motivos:
 
Primeiro motivo: ele realmente pode não ter ciúme nenhum, porque ele tem tanta segurança que você está na mão dele, que ele nem se preocupa.
 
Sinal vermelho porquê? Porque ele é um cara propenso a trair, já que tá tão seguro de si. Ou ele já trai e você nem percebeu, já que tá no mundo da lua. Muito cuidado. Ciúme demais é ruim, mas demonstrar segurança total, é preocupante.
 
Segundo motivo: Considere que ele pode ser ciumento e não fala nada. Mas é ciumento!
 
Sinal vermelho porquê? O cara vai guardar tanto tempo aquele sentimento dele, que um dia pode explodir, tendo reações inesperadas, do tipo ciúme doentio ou… traição.
 
Bom… Você já viu que ciúme é difícil de dosar. Mas pior que conviver com ele em doses demais, é não tê-lo por perto.

 

Bom final de semana!